> Anestesia Odontológica

A anestesia é a privação da sensibilidade do corpo ou parte dele, através de aplicação de uma substância que é introduzida no organismo do paciente antes de um procedimento médico ou cirurgia que assim o exija.

Se em alguns casos, como enxertos ósseos / cirurgias extensas se justifica a anestesia geral, em que o paciente, literalmente, dorme, na maioria dos casos odontológicos a necessidade exige apenas uma anestesia local, exemplo disso são, a extracção de um dente, tratamentos de canal, restaurações…

 

> Anestesia Local – Procedimentos

A anestesia pode ser administrada de várias formas, ora através de pomada (substância anestésica), ora através de gás (óxido nitroso), mas a mais usual é por meio de injecção.

Primeiramente o médico dentista aplica um gel no local da anestesia para adormecer a pele, seguidamente, e com cautela, injecta a substância usando uma agulha. A agulha amedronta imensos pacientes, sem razão, uma vez que costuma ser uma pequena e breve picada, quase indolor.

O local fica dormente e insensível à dor, podendo também acalmar um paciente mais ansioso.

 

> Anestesia Local – Cuidados e Efeitos Colaterais

O organismo de cada paciente pode reagir à anestesia de forma diferente de caso para caso, porém hoje em dia é possível anestesiar em segurança o paciente mais são, bem como o mais debilitado. Quando a anestesia é administrada correctamente não há motivos para preocupações. Contudo certos cuidados devem ser tomados, especialmente quando os pacientes são:

– Diabéticos;

– Hipertensos / com doença cardíaca;

– Super-Medicados / tomadores de medicamentos especiais;

– Gestantes, fundamentalmente nos primeiros e últimos meses de gestação

– Portadores de doenças sistêmicas / síndromes.

Para além da comum dormência parcial da boca durante um período curto ou mais ou menos longo de tempo (algumas horas) em que o paciente pode ter dificuldade em falar e alimentar-se correctamente, os efeitos colaterais que podem surgir após uma anestesia local são poucos:

– As pálpebras e músculos da gengiva podem temporariamente cair;

– Um dos olhos pode perder momentaneamente a capacidade de piscar;

– O ritmo cardíaco pode aumentar durante 1 / 2 minutos (arritmia cardíaca);

– Surgimento de um hematoma causado no momento da injecção a agulha ter atingido um vaso sanguíneo;

– Danos nos nervos derivados de um nervo ter sido atingido pela agulha, que apesar de ser uma situação muito rara, pode no limite causar dormência e dor durante semanas / meses.

 

Na verdade ser anestesiado pelo seu médico dentista é algo que não é doloroso ou perigoso, se tem medo de agulhas é uma questão de manter a calma, fechar os olhos e pensar em coisas boas, e pronto, quase não sentirá a picada.